quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Vitória dos diabéticos de SBC: desgoverno Orlando Morando volta fornecer seringas

© imagem: reprodução rede Globo (golpista)

O povo de São Bernardo do Campo obteve uma importante vitória contra o governo tucano do PSDB, do prefeito Orlando Morando, o qual havia reduzido o fornecimento das 60 (sessenta) seringas  que os 9.000 insulino-dependentes da cidade necessitam mensalmente para apenas 20 (vinte) seringas, ao mesmo tempo que orientava no sentido de reutilização até 8 (oito) vezes sendo que agora voltou atrás.

Tamanha indignação, a população iniciou grande campanha nas redes sociais contra o corte no fornecimento das seringas e a sua reutilização porque logicamente as seringas são descartáveis, sendo óbvio o risco de contaminação, sem falar que machuca os usuários. A Prefeitura do tucano Orlando Morando apoiava-se no também golpista Ministério da Saúde de Michel Temer que orienta nesse sentido.

Além da campanha da população nas redes sociais, destacamos a entrevista do jornalista Cadu Bazilevski ao Metro News, onde este informou o que isso estava acontecendo com seu pai diabético, João Batista Aragão Neto. A repórter, Vanessa Selicani, do Metro News - ABC, fez uma excelente matéria, onde ouviu especialistas, representantes de entidades de diabéticos e o próprio Ministério da Saúde golpista, que vem promovendo o desmonte da Saúde Pública no Brasil.

Agora, o SPTV da Rede Globo fez uma reportagem na Unidade Básica de Saúde da Pauliceia, em São Bernardo Campo, onde foi confirmado o corte, sendo que na mesma o prefeito golpista informou que a Prefeitura voltará a fornecer as 60 (sessenta seringas), e que a cidade gastará mais R$ 250.000,00 reais por ano, com os 9.000 diabéticos com isso. Ora, a cidade de São Bernardo do Campo tem um orçamento bilionário, nada justificando o desmonte da Saúde Pública. É só o golpista deixar de gastar com propaganda enganosa.

Essa vitória da população de São Bernardo do Campo deve servir de exemplo na luta contra o desmonte da Saúde Pública no Brasil, seja em nível municipal, estadual ou federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário