quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Há 90 anos a classe operária americana perdia Eugene Debs

Eugene Debs foi um líder sindical americano, nascido em 5 de novembro de 1855, que faleceu em 20 de outubro de 1926, tendo sido um dos membros fundadores da Industrial Workers of  the World (IWW ou Wobblies), e cinco vezes candidato do Partido Socialista da América para a presidência dos Estados Unidos.

“Logo no início de sua carreira política, Debs era membro do Partido Democrático. Ele foi eleito como democrata para a Assembleia Geral de Indiana, em 1884. Depois de trabalhar com vários sindicatos menores, incluindo a Brotherhood of Locomotive Firemen, Debs foi fundamental na fundação da American Railway Union (ARU), um dos primeiros sindicatos industriais do país. Depois que trabalhadores da Pullman Palace Car Company organizaram uma greve selvagem sobre cortes salariais no verão de 1894, Debs inscreveu muitos para o ARU. Ele convocou um boicote da ARU a trens com carros Pullman, em que se tornou uma greve nacional, afetando a maioria das linhas a oeste de Detroit, e mais de 250.000 trabalhadores em 27 estados. Para manter o correio em circulação, o presidenteGrover Cleveland usou o Exército dos Estados Unidos para quebrar a greve. Como líder da ARU, Debs foi condenado por acusações federais por desafiar uma liminar contra a greve e cumpriu seis meses na prisão.” (Wikipédia).

Além de um grande líder sindical, Debs foi sobretudo um internacionalista:

“Na prisão, Debs leu várias obras de teoria socialista e saiu seis meses depois, como um aderente comprometido ao movimento internacional socialista. Debs foi um dos membros fundadores da Social-Democracia da América (1897), do Partido Social-Democrata da América (1898), e o Partido Socialista da América (1901).” (Idem).

Inclusive Debs é mencionado sobre sua participação nas eleições de 1912, na obra do historiador norte-americano James West Davidson, UMA BREVE HISTÓRIA dos ESTADOS UNIDOS, tradução de Janaína Marcoantonio, cuja 2ª Edição, publicada em 2016 no Brasil pela Editora L&PM, foi objeto de resenha do Blog da Tendência Marxista-Leninista ainda neste mês:

“e o líder trabalhista Eugene Debs concorreu como socialista, o mais progressista de todos. (...)”, pág. 223.

Mas Eugene Debs concorreu 5 vezes à presidência dos Estados Unidos, sendo que na última numa cela de prisão:

“Debs concorreu como candidato socialista para a Presidência dos Estados Unidos por cinco vezes, incluindo 1900(ganhando  0,63% dos votos populares), 1904 ( 2,98%), 1908 (2.83%), 1912 (5.99%) e 1920 (3.41%), a última vez de uma cela de prisão. Ele também foi candidato ao Congresso dos Estados Unidos por sua terra natal, Indiana, em 1916.” (Wikipedia).

Debs era um grande orador e sobretudo um lutador:

“Debs era conhecido por sua oratória, e seu discurso denunciando a participação  americana na I Guerra Mundial levou à sua segunda prisão em 1918. Ele foi condenado sob o Sedition Act de 1918 e condenado a uma pena de 10 anos. O presidente Warren G. Harding comutou sua pena em dezembro de 1921. Debs foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz em 1924[2] e morreu em 1926, não muito tempo depois de ser internado em um sanatório devido a problemas cardiovasculares que se desenvolveram durante seu tempo na prisão. Ele já foi citado como fonte de inspiração para inúmeros políticos.” (Idem).

Leon Trotsky, em sua obra autobiográfica, “Minha Vida”, falou sobre Debs, pois antes de voltar à Rússia para participar da Revolução de 1917, o conheceu em Nova Iorque:

“O velho Eugene Debs destacou-se proeminentemente entre a geração mais velha por causa da chama inextinguível interior de seu idealismo socialista. Embora fosse um romântico e um pregador, e não a todos um político ou um líder, ele era um revolucionário sincero; no entanto, sucumbiu à influência de pessoas que eram em todos os aspectos,  inferiores a ele. A arte de Hillquit consistia em manter Debs em seu flanco esquerdo, enquanto ele manteve uma amizade de negócios com Gompers. Debs tinha uma personalidade cativante. Sempre que nos encontramos, ele abraçou e me beijou;  O velho não pertencia aos cáusticos. Quando o Babbitts proclamou um bloqueio contra mim, Debs não tomou parte no mesmo; ele simplesmente chamou de lado, com tristeza.”

A Tendência Marxista-Leninista presta esta homenagem a Eugene Debs, como um dos maiores líderes da classe operária americana.

Erwin Wolf

Nenhum comentário:

Postar um comentário