domingo, 24 de julho de 2016

Brasil: dia 31/7, domingo, todos às ruas, que nem o povo turco, para derrotar o golpe

Golpistas querem impor a escravidão e a recolonização do Brasil

Os golpistas pretendem,  com a votação do golpe/“impeachment” em agosto, fazer uma enorme ofensiva contra os trabalhadores e o conjunto da população oprimida para impor uma verdadeira recolonização e escravidão, as chamadas “medidas impopulares” de Temer: fim da Consolidação da Leis do Trabalho (CLT), jornada de 80 horas, aposentadoria aos 75 anos, fim do seguro-desemprego, fim da estabilidade do funcionário público, fim dos Sistema Único de Saúde, fim dos programas sociais, como Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, Fies, Pronatec, entrega da Petrobrás à Shell e a Chevron, extinção do BNDES, privatização do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, etc. 

Golpe se derrota com o povo nas ruas e com a greve geral

Não há nenhuma perspectiva de reversão do “impeachment” no Senado. É jogo de cartas marcadas!

Não há possibilidade de reverter o golpe no Senado Federal. Trata-se de um covil de bandidos. Sem chance!

Não acreditem numa história que está circulando que Lula teria 6 votos...Isso é conversa!

Infelizmente, o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) estão costurando uma “Acordão Nacional” com os golpistas, em razão de suas políticas de colaboração de classes, frente populista e, talvez, de medo de serem presos pelos golpistas, por isso devemos exigir que rompam com os golpistas e mobilizem as massas.

A Tendência Marxista-Leninista sempre advertiu sobre as ilusões legalistas, parlamentaristas, constitucionalistas e eleitoreiras, dizendo que apenas a greve geral e a mobilização das ruas podem esmagar o golpe.

O exemplo a ser seguido é o das massas turcas que saíram às ruas e esmagaram os golpistas no dia 15 de julho, independentemente do fato de que o presidente turco Erdogan seja o capeta e os militares o coisa ruim.

Assim, devemos exigir que o PT e o PCdoB, que lideram a Frente Brasil Popular (FBP), rompam com os golpistas, e, juntamente com a Frente Povo Sem Medo (FPSM), mobilizem o conjunto dos operários, trabalhadores, camponeses e estudantes contra o golpistas no dia 31 de julho, domingo próximo.

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário

Nenhum comentário:

Postar um comentário