quarta-feira, 29 de junho de 2016

Segue a caçada ao Partido dos Trabalhadores: ditadura, fascismo e macarthismo no Brasil

O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) e ex-deputado federal gaúcho, Paulo Ferreira, entregou-se à Polícia Federal. Ele estava com prisão preventiva decretada, em razão da “Operação Custo Brasil”.

A Polícia Federal, ao que tudo indica, segue agindo sob o comando da CIA, sendo que na semana passada, numa operação nazi-fascista invadiu a sede nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), em São Paulo. Além disso, prendeu o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da senadora do PT, Gleisi Hoffman, e mais 4 pessoas, na chamada “Operação Custo Brasil”, numa operação “cinematográfica”, usando até helicóptero.

A Polícia Federal transformou-se na polícia política do golpe, numa versão moderna das SS nazistas da Alemanha de Hitler.

A Polícia Federal implementa a política do juiz federal e suposto agente da CIA e do PSDB, Sérgio Moro, que condenou Zé Dirceu novamente sem provas, agora a 23 anos de prisão, verdadeira prisão perpétua se considerarmos a idade de Dirceu (70 anos), a exemplo do que fizera o Supremo Tribunal Federal, com a nazi-fascista “Teoria do Domínio do Fato”. O STF rasgou a Constituição faz tempo, quando acabou com o princípio da presunção de inocência. Essa Corte tem muita tradição nesse tipo de decisão ditatorial e nazi-fascista, tendo entregue Olga Benário a Hitler.

Como disse o dramaturgo alemão Bertold Brecht, “Infeliz da nação que precisa de heróis.”

No ano passado, em um debate no Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, em que denunciamos a “Teoria do Domínio do Fato” como nazi-fascista e colocamos a necessidade de se lutar contra o golpe nas ruas, após a nossa intervenção, o deputado federal Wadih Damous defendeu a “Teoria do Domínio do Fato”, argumentando que ela não era nazi-fascista, sendo que ela permitiu que houvesse a condenação dos nazistas no Tribunal de Nuremberg, dando a entender que ela foi concebida pelos aliados, os Estados Unidos, Inglaterra e França.

Todavia, sem razão o deputado, pois mesmo que ela tenha sido elaborada pelos Aliados, estes eram tão cruéis quanto os nazistas, pois basta lembrar as bombas atômicas que os Estados Unidos jogaram em Hiroshima e Nagasaki, que matando 166 mil pessoas na primeira cidade e 80 mil na segunda. Isso é o imperialismo “democrático”!

A conjuntura ditatorial vivida pelo Brasil, lembra o filme “Z”, do cineasta grego, Costa- Grava, “um filme franco-argelino de 1969, baseado no romance homônimo de Vassilis Vassilikos”, que retratou a luta da Resistência francesa contra a ocupação nazista alemã e o governo colaboracionista de Vichy. Numa passagem do filme, as forças da Resistência mataram um nazista. Em seguida, em represália, os alemães exigiram dos colaboracionistas que pegassem 7 pessoas presas e as condenassem à morte, dando preferência para comunistas e judeus. Um dos presos apresentados, era comunista e judeu. Aí o guarda perguntou aos nazistas e aos colaboracionistas o que fazer com o condenado: devemos matá-lo duas vezes? É esse o judiciário e a polícia política que temos hoje, com as “delações premiadas” e a a Nova Guantánamo de Curitiba.

À caçada ao PT, seguirá a caçada aos demais partidos operários e de esquerda e aos movimentos populares e sociais, aos sindicatos e às centrais de trabalhadores.

A votação do “impeachment” será comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, a mesma Corte que para maquiar o golpe, fez uma cirurgia plástica afastando apenas formamente Eduardo Cunha da presidência da Câmara (continua recebendo e atuando para a consolidação do golpe. Apenas não comparece nas dependências da Câmara, o resto ele continua fazendo exatamente igual), apenas depois que ele fez todo o trabalho sujo, pavimentando o terreno para o golpe.

O universo dos golpistas está mais do que claro: a imprensa, o Congresso Fantoche, o Supremo Tribunal Federal e o juiz  Sérgio Moro, suspeito de ser agente da CIA, , o Ministério Público Federal, a Polícia Federal (a polícia política do golpe), e as Forças Armadas. 

A maioria dessas instituições burguesas, são ocupadas por usurpadores que não se submeteram ao sufrágio universal, ao voto,  ou seja ao controle do povo, que permanentemente defendem os interesses da burguesia e do imperialismo norte-americano, agindo sempre politicamente.

A “Operação Lava Jato” e as demais “operações” foram montadas pela CIA e pelo imperialismo norte-americano apenas para perseguir os dirigentes petistas e os empreiteiros e empresários que apoiaram os governos do PT de Lula e Dilma. Tanto isso é verdade, que o capitão do golpe, o deputado Eduardo Cunha, segue firme e forte, nada lhe acontecendo, nem as suas esposa e filha cúmplices. Inclusive, Cunha e a esposa foram fotografados jantando em restaurante grã-fino, conforme divulgação da imprensa.

A  Polícia Federal (PF) tornou-se a polícia política do golpe, adquirindo as características das SS nazistas, a exemplo do que vem fazendo não só em São Paulo como, por exemplo, no Paraná, onde Curitiba tornou-se a Nova Guantánamo, com as pessoas sendo presas sem culpa formada (ou seja, sem acusação), por meio de prisões “preventivas” e “provisórias”, para obtenção de “confissões” e “delações premiadas”, sob clara tortura, a exemplo do que ocorre na prisão norte-americana em Guantánamo e ocorreu na época nazista de Hitler, reproduzindo o DOI-CODI da ditadura de 1964, nesta ditadura de 2016.

Os golpistas, ao mesmo tempo em que estão retirando os direitos trabalhistas, os programas sociais e previdenciários dos trabalhadores e da maioria oprimida nacional, estão caçando o PT, seus dirigentes e sua militância.

Agora com o golpe consumado, com a instauração da ditadura Temer/Cunha, a resistência têm de dar um salto de qualidade, com um trabalho paciente de explicação aos operários, aos trabalhadores, aos camponeses, aos jovens e aos estudantes, preparando-os para a luta pelas liberdades democráticas, como também para enfrentar os ataques que virão do “programa econômico” da ditadura Temer, sempre utilizando os métodos de luta da ação direta das massas, motivo pelo qual o movimento operário e popular deve preparar e organizar, uma greve geral por tempo indeterminado, com a eleição dos comandos de greve, nas fábricas, nas empresas, nos bancos, nas repartições públicas, nos campos, nas empresa rurais, nas escolas e nas universidade, bem como organizar milícias operárias e populares a partir dos sindicatos, para derrubar a ditadura Temer/Cunha, para que esta seja apenas um curto episódio histórico no Brasil.

- Liberdade para os presos políticos!

- Pelas liberdades democráticas!

- Liberdade de manifestação e expressão!

- Liberdade de associação e organização!

- Abaixo a repressão!

- Pela dissolução da polícia militar e da polícia federal (a polícia política do golpe)!

- Eleição dos juízes!

- Abaixo o golpe da burguesia entreguista e do imperialismo norte-americano!

- O povo na rua derruba a ditadura!

 - Fora Temer, Fora Cunha!

Tendência Marxista-Leninista, por um partido operário marxista revolucionário







Nenhum comentário:

Postar um comentário