sábado, 23 de abril de 2016

Todo apoio à Coreia do Norte pelo lançamento de míssil

A Coreia do Sul e a ONU (Organização das Nações Unidas) disseram que a Coreia do Norte lançou míssil balístico por meio de submarino, assim como passaram a censurar e a atacar o estado operário.

Segundo Lênin, vivemos na época dos monopólios, na época do acirramento da concorrência, na época da decadência imperialista, da fusão do capital industrial com o bancário, formando o capital financeiro, época de reação em toda linha, de guerra e revoluções, da ONU, que, como disse Lênin de sua antecessora, a Sociedade da Nações, não passa de um covil de bandidos, da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), máquina de destruição poderosíssima, que ataca aos povos do mundo inteiro, despejando milhões de bombas, como no Norte da África, Líbia, Mali, no Oriente Médio, Síria, na Europa, Ucrânia, e na América Latina, Colômbia, etc., bem como promovendo golpes de estado, como na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Venezuela, etc.

A Coreia do Norte tem todo o direito de se defender da máquina mortífera do imperialismo, apoiada nos falcões da Casa Branca, do Pentágono e do Departamento de Estado yankee e na indústria armamentista do Texas.

O Estado operário norte-coreano, em razão da inviabilidade da política da “teoria do socialismo num só país”, precisa de reorientar a sua política no sentido do internacionalismo proletário, da construção da Internacional operária e comunista,  da revolução internacional, no sentido da revolução permanente, sendo que, para tanto, há necessidade de uma revolução política, conduzida por um partido marxista-leninista. 

Assim, neste momento em que a Coreia do Norte entra em atrito com o imperialismo, a Tendência Marxista-Leninista defende incondicionalmente o Estado operário, colocando-se ao seu lado contra o enclave sul-coreano, assim como contra a ONU e o imperialismo norte-americano e europeu.

Tendência Marxista-Leninista

Nenhum comentário:

Postar um comentário